Só não se perca ao entrar no meu infinito particular...

Só não se perca ao entrar no meu infinito particular...

segunda-feira, 30 de novembro de 2009


Merda de vida. E eu falo isso como se estivesse com uma garrafa na mão, olheiras enormes,
fedendo a cigarro; mas eu pareço completamente bem em frente ao computador, ouvindo Cazuza.
Minhas roupas estão limpas, meu corpo está ileso, minhas tarefas estão organizadas. E por dentro essa podridão infinita,
como se este corpo estranho que estivesse possuindo minha alma.