Só não se perca ao entrar no meu infinito particular...

Só não se perca ao entrar no meu infinito particular...

segunda-feira, 29 de junho de 2009

"bom, feliz talvez ainda não. Mas tenho assim... aquela coisa... como era mesmo o nome?
Aquela coisa antiga, que fazia a gente esperar que tudo desse certo, sabe qual?
— Esperança? Não me diga que você está com esperança!
— Estou, estou".

domingo, 28 de junho de 2009

"Só agora eu sinto que a minhas asas eram maiores que as dele, e que ele se contentava com o ares baixos: eu queria grandes espaço, amplitudes azuis onde meus olhos pudessem se perder e meu corpo pudesse se espojar sem medo nenhum. Queria e quero — ainda. Voar junto com alguém, não sozinho. Mas todos me parecem tão fracos, tão assustados e incapazes de ir muito longe. Talvez eu me engane, e minhas asas sejam bem mais frágeis que meu ímpeto. Mas se forem como imagino, talvez esteja fadado à solidão"

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Ela pensando: "Como eu posso viver sem vc ao meu lado..."
Ele pressente: "Que que c disse?"
Ela: "Eu? Eu não falei.. num falei nada..."
Ele: "aqui a tua bolsa.." Tchau..
Ela: "Tchau..."
Ele pensando: "Engraçado.. Será que nunca mais eu vou te esquecer?..."
Ela pressente: Que que c falou?"
Ele: "Falei nada..."
Ela: "O que me faz sofrer é sentir que o que enxeria qualquer mulher de felicidade, ou seja, ter o teu maravilhoso amor. O teu amor generozo, bom, apaixonado, e essas coisas lindas que vc me diz.. tudo isso me causa ansiedade e me leva ao desespero. Quanto mais eu penso em me entregar totalmente a vc, tanto mais terror eu tenho do que seria de mim se esse amor ardente se apagasse..."


Ele: "Você vai entrar pela porta que eu deixei entreaberta. A uma hora que eu não penso noutra coisa. Vc chegando na luz do jardim. Antes de chegar, vc já chega e eu ouço teu coração batendo nas ruas, batendo, batendo por que vai me encontrar. Eu sei que minha presença te faz nervosa. Eu sei que vc se arrumou melhor pra me ver. Eu sei que vc sabe que eu sei de tudo que vc era... e que o teu único tesouro é o que eu não sei mais..........."


Ela: "Você me chamou por telefone. Dois anos juntos e dois meses sem te ver... Quando eu ouço a tua voz o mundo se acalma.. A tua voz vem calma no telefone, e eu fico toda protegida com falso tom de bondade que a tua voz assume. Corro pra vc em pânico e sei que vc vai me receber sólido e amigo. E que pouco a pouco vai provar que vc é o porto seguro, e eu a Galera enlouquecida... Eu sei, mas eu suportarei a humilhação pra poder ver teus olhos e pensar... MEU HOMEM, MEU HOMEM, MEU HOMEM PERDIDO E SEMPRE! ETERNAMENTE MEU HOMEM... mas eu vou te enfraquecer e no fim da noite vc vai estar caído feito um João Ninguém. Eu ajeitarei o batom, o salto alto, e partirei pensando: Dorme meu homem. Dorme my Baby. That's my boy! E vou voltar sozinha pro mundo, onde tudo gira feito um carnaval de Arlequim, e vou ficar infeliz feito um nada..........."
"Será que nunca mais eu vou te esquecer...
Será que nunca mais eu vou olhar num espelho, sem ver vc refletida...
Será que nunca mais vai chover, sem eu ver a chuva molhando seu rosto..."





filme - eu sei que vou te amar



"- Falar o quê? Que eu te amava feito uma louca? Que o dia que você me beijou as pedras do chão estavam brilhando como estrelas? Isto! Comparação ridícula: os paralelepípedos eram estrelas azuis... eu olhava pra você...meu amor..você era o meu amor...e você parecia um artista de televisão...tinha uma tela de luz em volta do teu rosto...parecia o Marlon Brando...e eu...olhava para você e o mar atrás do teu cabelo ficou verde-escuro e teus olhos...é o seguinte: ficou tudo sólido de repente...a paisagem...em três partes...eu me lembro exatamente...tinha atrás de você o mar...o mar ficou vivo...verde-escuro, parecia que ia entornar na praia...vinha uma luz rosa de um neon da sorveteria que já estava aceso...você pôs a mão nos meus olhos...tapou...assim...e me deu um outro beijo de leve...leve...e quando você tirou a mão...eu abri os olhos...e o mundo tinha mudado...estava tudo diferente...a noite tinha caído...parecia uns desenhos...uns riscos luminosos no ar...os postes acesos...ventava nas palmeiras...e depois a luz roxa que entra pela janela do hotel...você não é mulher...você não sabe o que é uma mulher abrir as pernas para um homem a primeira vez...sabendo que vai...que está apaixonada...e eu abri as pernas e o seu pau entrou...eu me lembro até hoje...quando o seu pau entrou eu pensei: 'Meu Deus!...É Natal...É Carnaval!...é dia de São João...papai chegou da Cidade...eu...eu...vou contar pro papai...que será de mim? Chegou um homem na minha vida que vai acabar com a minha vida!...eu vou contar pro papai... pra minha mãe...quem ele pensa que é?...' E a rua cheia de estrelas grandes ventando...movia tudo...mudou a paisagem..."